Sexualidade

Sexualidade Plena

É importante que a mulher conheça sua anatomia, descubra como ter prazer, mas sem deixar de lado o respeito pelos seus medos, suas angústias e inseguranças. A sexualidade muda à medida que o relacionamento se aprofunda. O sexo pode ser fonte de prazer e excitação, como pode transmitir o real estado do relacionamento. Nessa hora, o preconceito e as amarras devem ser deixadas de lado e assumir os sentimentos, bons ou ruins, para se viver um momento de intimidade e prazer genuíno, sem mentiras ou fingimentos.

O principal segredo para uma sexualidade plena e saudável é conhecer o próprio corpo, suas respostas e estar em aceitação pessoal e com o parceiro. Um relacionamento vivo e saudável fora da cama, com cumplicidade e intimidade é fundamental para ter o mesmo na cama.

Aguardamos você para consulta de avaliação. Acompanhe também nossa área de Cursos e Palestras.

Acompanhamentos

1
Por que é difícil aceitar planos de saúde nos atendimentos de Sexualidade?

O atendimento voltado para as questões de sexualidade envolve mais tempo, dedicação e personalização. Muitas vezes há necessidade de nova consulta dentro do período ainda considerado como não coberto para nova consulta.

Os planos de saúde pagam por consulta valores muito baixos. Isso prejudica o tempo dedicado ao atendimento. Além disso, cada consulta é uma nova avaliação, que demanda nova abordagem, não tendo caráter de retorno.

Nesse contexto atual tornando-se inviável o atendimento de convênios e planos de saúde para atendimentos voltados para Sexualidade.

2
Função Sexual Normal

Capacidade de participar do relacionamento sexual com SATISFAÇÃO para o casal.

É importante conhecer o funcionamento do corpo e as respostas esperadas de acordo com a fase da vida da Mulher e as diferenças nos padrões em relacionamentos curtos e longo. Muitas vezes esse esclarecimento já resolve, encorajando o casal. Quando cada um passa a saber como funciona o sexo oposto, os ciclos de desejo-excitação e os motivos que fazem o parceiro ou parceira mudar o padrão de resposta é possível adaptação, ajuste dos comportamentos e novamente alcançar a SATISFAÇÃO.

Agende uma consulta avaliação inicial em Sexualidade e aprenda sobre anatomia, mecanismo de resposta sexual e suas variações.

Leia Sobre o Modelo de Resposta Sexual Normal Feminino

Vamos falar sobre o MODELO ATUAL DE RESPOSTA SEXUAL FEMININA

3
Disfunção Sexual

Distúrbio de alguma da fases (Desejo, Excitação, Orgasmo, Resolução) que causa DESCONFORTO significativo por pelo menos 6 meses e que não pode ser justificado por um distúrbio mental.

É altamente prevalente, cerca de 40% da população apresentou em algum momento da vida disfunção sexual. E suas causas envolvem múltiplos fatores. Os critérios diagnósticos não são bem padronizados e temos poucas alternativas terapêuticas.

Procure ajuda médica no início dos sintomas para afastar doenças anatômicas e causas medicamentosas, além de possibilidade de resolução mais rápida com menor número de avaliações.

 

Dor na penetração, Dispareunia, Vaginismo

Percepção da EXCITAÇÃO é diferente em homens e mulheres

Vamos falar sobre o MODELO ATUAL DE RESPOSTA SEXUAL FEMININA

Sexualidade Feminina: Dra Thalia Explica o que a levou a estudar esse tema – do Tantra à Psiquiatria

Sexualidade e pós-parto

 

4
Sexualidade e Ciclo de Vida

Infância

  • Aprendizado das normas sociais
  • Ausência de autonomia
  • Curiosidade
  • Auto-exploração
  • Exploração mútua

Adolescência

  • Estruturação da identidade
  • Rompimento / questionamento de valores
  • Identificação / pressão do grupo
  • Pensamento mágico / absoluto / idealizado
  • Dificuldade em avaliar consequências de longo prazo
  • Assumem mais riscos

Jovem Adulto

  • Maior autonomia
  • Ingresso no mercado de trabalho
  • Dilema maternidade x carreira (carreira vence)

Adulto

  • Pressão social para estabelecer relacionamento
  • Dilema carreira x família
  • Preocupação com relógio biológico
  • Maior consciência de desejos e necessidades sexuais
  • Sabe o que quer
  • Sabe o que não quer
  • Maior seletividade

Menopausa

  • Fase transicional
  • Marco final da capacidade reprodutiva
  • Ressignificação da atividade sexual
  • Relacionamentos longos e estagnados
  • Parceiro com maior risco de disfunção
  • Falta de novos parceiros no mercado
5
Transtornos Sexuais são divididos em 3 grupos

Os Transtornos Sexuais são divididos em três grandes grupos

  1. Disfunções Sexuais
  2. Disforias de Gênero
  3. Transtornos Parafílicos

Disfunções Sexuais

  • Transtorno do interesse/excitação sexual feminino
  • Transtorno do orgasmo feminino
  • Transtorno da dor gênito-pélvica/penetração (inclui vaginismo e dispareunia)
  • Transtorno do desejo sexual masculino hipoativo
  • Ejaculação prematura (precoce)
  • Ejaculação retardada
  • Transtorno erétil
  • Disfunção sexual induzida por substâncias/medicamento
  • Outras disfunções sexuais não especificadas

Disforias de Gênero

  • Refere-se ao sofrimento afetivo/cognitivo que pode acompanhar a incompatibilidade entre o gênero experimentado (ou expresso) e o gênero designado de uma pessoa

Transtornos Parafílicos

  • Voyeurista: espiar outras pessoas em atividades privativas
  • Exibicionista: expor genitais
  • Frotteurista: tocar ou esfregar-se em indivíduo que não consentiu
  • Masoquismo: passar por humilhação, submissão ou sofrimento
  • Sadismo: Inflingir humilhação, submissão ou sofrimento
  • Pedofílico: foco sexual em crianças
  • Fetichista: Usar objetos inanimados ou ter um foco altamente específico em partes não genitais do corpo
  • Transvéstico: vestir roupas do sexo oposto visando excitação sexual
  • Outros Escatologia telefônica (telefonemas obscenos), Necrofilia (cadáveres), Zoofilia (animais), Coprofilia (fezes), Urofilia (urina), Clismafilia (enemas).

Veja os posts relacionados a Sexualidade no Dicas de Saúde

6
Perda do Desejo/Excitação Sexual

Desejo Sexual Hipoativo

  • interesse, pensamentos ou fantasia sexual estão diminuídos ou ausentes
  • e/ou a receptividade à atividade sexual para tornar-se sexualmente excitado é escassa ou inexistente
  • resultando em angústia pessoal.

 

Distúrbio da Excitação Sexual

  • incapacidade persistente ou recorrente de alcançar ou manter os estímulos suficientes durante a excitação sexual.
7
Vaginismo e Dor na Penetração (Dispareunia)

Vaginismo

Descrito em 1862 como um reflexo de defesa da musculatura do assoalho pélvico, contração dos músculos perineais impedindo a penetração na vagina total ou parcial, impossibilitando ou dificultando o coito e o exame ginecológico.

Necessidade de abordagem funcional com componente anatômico preservado e comprometimento no campo emocional.

  • Primário – quando manisfestado desde a primeira tentativa.
  • Secundário – quando os sintomas se iniciam após um período de vida sexualmente ativa.

 

Dispareunia

Dor durante a relação sexual.

Diferente do vaginismo, onde a causa é psicológica, na dispareunia grande parte apresenta causa orgânica que pode ser agravada pelo emocional.

  • Profunda – na vagina, na pelve
  • Superficial – na genitália externa ou na entrada da vagina

 

É importante avaliação médica para diferenciar vaginismo de dispareunia, assim como diferenciar dispareunia da dor causada pela falta de lubrificação decorrente de falta de desejo. As abordagens terapêuticas são distintas e necessitam de profissional capacitado.

Leia o texto escrito por Dra Thalia Maia no Dicas de Saúde

Dor na penetração, Dispareunia, Vaginismo

8
Desordens do Orgasmo

Orgasmo – Sensação de Prazer cada um tem o seu 🙂

Anorgasmia – ausência de orgasmo

  • Primária – quando a mulher nunca sentiu orgasmo.
  • Secundária ou adquirida – surge em uma pessoa que previamente era capaz de ter orgasmos.
  • Situacional ou circunstancial – depende do parceiro ou da circunstância.
  • Generalizada ou absoluta – nunca sentiu orgasmo independente do tipo ou qualidade de estímulo.

Muitos casos nunca houve orgasmo porém a disfunção inicial foi falta de desejo pelo parceiro, parceria com ejaculação precoce, desconhecimento do próprio corpo ou até mesmo houve orgasmo, mas a mulher não interpretou como sendo.

Mais uma vez a avaliação com profissional experiente permite o diagnóstico correto e a terapia apropriada.

9
Principais Causas das Disfunções Sexuais Femininas

1.DESORDEM SEXUAL DESEJO/EXCITAÇÃO

– PSICO-SOCIAL

  • conflito conjugal
  • má imagem corporal
  • diminuição da auto-estima
  • falta de intimidade com o parceiro
  • distúrbios do humor
  • efeito adverso do uso de medicação psicotrópico.

– HORMONAL

  • disfunção do eixo hipotálamo-hipófise
  • falência ovariana precoce
  • ooforectomia bilateral
  • menopausa
  • uso de contraceptivo hormonais

 

2.DESORDEM DA DOR/PENETRAÇÃO GENITO-PÉLVICA

  • diminuição do fluxo sanguíneo para os órgãos genitais secundários à aterosclerose
  • vagina atrófica
  • vulvovaginites
  • hiper ou hipotonia dos músculos do assoalho pélvico

 

3. DESORDEM DO ORGASMO

  • lesão da medula espinal;
  • desordens do sistema nervoso central ou periférico (por exemplo, diabetes e doenças reumatológicasl);
  • efeito adverso do uso de medicação psicotrópico.
10
Aula de Anatomia Feminina e Sexualidade

Grande parte dos desafios relacionados à sexualidade são resolvidos com o conhecimento do próprio corpo e a conexão com as sensações e expectativas no campo real e no momento presente.

A proposta de ensinar sobre o corpo feminino identificando a anatomia relacionada com a sexualidade é o que acredito.

Agende a sua aula de anatomia feminina incluindo modelo em maquete pelúcia e reprodução da própria imagem em televisão.

 

thalia-maia-374foto thalia tantra

11
Coluna Dicas de Saúde - Sexualidade

*As informações a seguir são apenas para orientação inicial, a avaliação dos sintomas deve ser feita por um médico durante uma consulta completa, incluindo exame físico. Apenas na consulta com uma avaliação integral é possível fazer o diagnóstico correto e estabelecer o tratamento adequado para cada caso.