Jovens

Importância do vínculo entre médica e paciente

Acredito que o mais importante nesse primeiro contato é estabelecer um vínculo de confiança para que no momento que precisar de fato, ou estiver insegura com sintomas ou dúvidas, a jovem saiba que existe um profissional médico capacitado e que poderá orientá-la da melhor forma, sem julgamentos ou preconceitos.

A mãe tem um papel muito importante. Crescer ouvindo a mãe reclamar das idas ao consultório, resultará em não ver com bons olhos a primeira consulta. Se a mãe considera o ginecologista uma pessoa amiga, que vai ajudá-la a conviver melhor com seus problemas ou a resolvê-los, a jovem aceitará melhor a idéia. Uma dica é ela ir como acompanhante da mãe a uma das consultas antes, não como paciente.

Aguardamos você na consulta.

Acompanhamentos

1
Primeira consulta

Para paciente sem atividade sexual a primeira consulta inclui principalmente conversa, esclarecimento de dúvidas, orientações sobre o corpo e a higiene da genitália de acordo com cada idade. Nesses casos, o exame físico serve para confirmar que as modificações estão de acordo com o estágio de desenvolvimento esperado para a idade. Mesmo assim, ele não é obrigatório.
Para a jovem que já teve a primeira relação sexual, o exame de Papanicolau (prevenção do câncer de colo uterino) deve entrar na lista de exames rotineiros. O objetivo é avaliar o colo uterino em busca de células alteradas.
Visite nosso Dúvidas Frequentes e saiba mais sobre a primeira ida ao ginecologista.

2
Primeira menstruação

A partir do momento em que a menina menstruou, se sentir necessidade, deve ser levada ao ginecologista. Nunca à força. É importante a orientação sobre o que esperar antes, durante e depois da menstruação, além de orientação sobre higiene íntima.

3
Primeira relação sexual

Antes que isso aconteça, é o momento ideal para a primeira consulta ao ginecologista. O problema é que muitas mães têm medo de que levar a filha adolescente ao ginecologista possa incentivar o início de sua vida sexual. PERIGO!

Quando a garota decide que chegou seu momento, com ou sem a aprovação materna, iniciará a vida sexual e é melhor que esteja informada e protegida contra doenças sexualmente transmissíveis (DST) e gravidez.
Internet e Amigos são fonte de informação de fácil acesso aos jovens, nem sempre informação verdadeira. Por isso, é fundamental a orientação pelo profissional.

4
Queixas frequentes
  • Sangramento Irregular
  • Cólica – Dor Pélvica
  • Secreção vaginal normal ou corrimento
  • Métodos Contraceptivos hormonais e não hormonais
  • Infecções ginecológicas
  • Dor no ato sexual
  • Estética Vaginal

Na presença de sintomas é indispensável a avaliação pelo ginecologista.

5
Itens relacionados

Veja também em Saúde da Mulher

*As informações a seguir são apenas para orientação inicial, a avaliação dos sintomas deve ser feita por um médico durante uma consulta completa, incluindo exame físico. Apenas na consulta com uma avaliação integral é possível fazer o diagnóstico correto e estabelecer o tratamento adequado para cada caso.