Dicas de Saúde

18/08/2016

O bebê chegou… Do sonho a realidade.

Enfim, a espera acabou. Os nove meses se passaram e o momento do parto findou. É hora de beijarmos nossos bebês, de curtimos e olharmos admirando profundamente cada detalhe do seu corpo: mãos, pés, o contorno de sua boca. Esperamos ansiosamente por esse momento: único e mágico. Não existe emoção igual: somos gratas a tudo e a todos! Aquele serzinho tão pequenino e com semblante sereno. Tranquilidade igual não há…

Até que chega a tão esperada hora de amamentar. Sempre ouvimos que é uma sensação única poder alimentar seu bebê através do seu próprio corpo. O que muitas pessoas se esquecem de dizer é que esse momento requer adaptações da mãe e pode ser bastante incômodo no início. Saímos da maternidade achando que é só colocar o bebê no peito que ele vai mamar direitinho, mas são diversas as dificuldades que podem surgir nesse período: pega incorreta, leite que demora a descer, mamilos machucados dentre outras.

Essas dificuldades somadas com o sono acumulado, a mudança na rotina e as alterações hormonais podem trazer sentimentos de frustração e insatisfação. Ah! O sono acumulado! Já não é tão simples assim dormir. O bebê recém-nascido dorme muito, é o que dizem… Mas a gente esquece que eles normalmente acordam na hora que a gente pensa que vai dormir: a noite.  Além disso, é a hora de aprender (ou reaprender) a cuidar do serzinho tão dependente de você. É dar banho, decidir qual conselho vai seguir dentre tantos que já ouviu, aprender que dormir é quando o bebê dorme e que não conseguir fazer seu bebê parar de chorar é angustiante.

Os primeiros dias de vida do bebê são marcados por um misto de sentimentos.  Ao mesmo tempo em que somos preenchidos pelo sentimento de felicidade plena logo após o nascimento dos nossos filhos, somos tomadas por sentimentos de insegurança, receio, tristeza e angústia nos dias que sucedem o parto.

Para aliviar esses sintomas é indicado que a mais nova mamãe faça acompanhamento psicológico durante a gestação e no período pós-parto. Além de dedicar um tempinho para cuidar de si, filtrando as visitas se necessário.  É importante também ter uma orientação adequada em relação à amamentação, para que esta ocorra sem maiores problemas. E ainda aceitar ajuda de pessoas próximas para cuidados com a casa, podendo assim dedicar seu tempo para conhecer e curtir seu bebê.

 

Clarissa Suassuna – Psicóloga – CRP 01/18113