Dicas de Saúde

24/01/2017

Implante hormonais: Gestrinona, muito mais do que um “Chip da Beleza”!

Texto escrito por Dra Carolina Adorno

DSC_6546

Olá! Meu nome é Carolina Adorno, sou médica ginecologista e obstetra, com prática em ortomolecular e a convite da minha amiga Dra. Thalia Maia, vou mensalmente escrever aqui, sobre temas presentes no cotidiano do consultório e que despertam dúvidas na maioria das nossas pacientes.

Esse será nosso cantinho, no mundo digital, e para iniciar vamos falar sobre Implantes Hormonais. A cada mês, um tipo de hormônio diferente. E, como sei que quase todas brasileiras apreciam demasiadamente o belo, vamos começar com a Gestrinona, o queridinho das famosas, o “chip da beleza”, que é cercado de promessas nas redes sociais.

Trata- se de uma progestínico, com efeito, androgênio, hemostático , anti estrogênico e anti progesterona. Inserido de forma subcutânea, a dose é individualizada e varia conforme o peso da paciente, sendo necessário 1 implante a cada 10- 15 kg, normalmente.

A Gestrinona é somente uma das opções quando se fala em implante hormonal, mas para aquelas em que este tipo de implante está indicado, a gestrinona pode ser feito isoladamente ou associado a outros hormônios, como testosterona e o estradiol. Possui indicação na terapia de reposição hormonal (TRH) em mulheres na fase do climatério e menopausa, assim como no tratamento de várias patologias ginecológicas, como miomatose uterina, endometriose, sangramento uterino disfuncional, cólicas menstruais, tensão pré-menstrual e até como método anticoncepcional. Porém, a sua maior procura é por ter sido associado à melhora da libido, ganho de massa muscular e diminuição de celulite.

No entanto, a gestrinona não faz “milagres”. Seus benefícios decorrem da associação a hábitos de vida saudáveis, como exercício físico, a alimentação adequada, vida menos estressante, abandono do tabagismo, com ingesta mínima de álcool, possibilitando uma melhor ação.

Quanto à resposta sexual, isso depende de cada paciente, já que a sexualidade é algo que envolve uma série de fatores que têm influência entre si e que vão muito além de uma disfunção hormonal. 

Embora, esse seja um método amplamente divulgado pela mídia sua utilização é relativamente recente como artifício terapêutico. E não estamos livres de algum efeito inconveniente dessa reposição. Por isso, reforço o alerta para a responsabilidade de sua aplicabilidade. Paciente e médico devem ter perfeito entendimento sobre o assunto durante a consulta médica.  A inserção de implantes só pode ser realizada com base em minuciosa consulta médica e exames laboratoriais que direcionam toda a terapia na busca de um corpo saudável e bem disposto!

A modernidade pode oferecer uma medicina de ponta com mais conforto e menores efeitos colaterais, mas sempre ressalto que o ser humano deve ser capaz de entender e respeitar o seu corpo, sua mente com maior compromisso e, com isso, usufruir de todas as sensações que somos capazes de ter!  Mas, isso é assunto para uma próxima coluna. Até o próximo mês! Beijo!

Dra Carolina Guilherme Adorno

CRM-DF 18.228

Médica Ginecologista e Obstetra

carolinaequilibrio@gmail.com