Dicas de Saúde

14/12/2016

Dor na penetração, Dispareunia, Vaginismo

Texto escrito por Thalia Maia

A penetração pênis+vagina é a prática que culturalmente mais caracteriza a relação sexual. Alguns casais, quando realizam sexo oral ou manipulações genitais ou mesmo penetração anal, não consideram como relação sexual. Seriam apenas preliminares ou jogos sexuais.

Dificuldades em realizar penetração vaginal não são associadas apenas a incômodos físicos ou dificuldade de ter filhos, mas carregam um peso muito forte podendo gerar sentimentos de insegurança, baixa auto-estima, inferioridade. Em alguns casos, não sabemos o que foi causa e o que foi consequência, fato é que uma bola de neve pode ser criada nesse contexto, acarretando problemas relacionais e mais disfunção.

Para os primeiros pesquisadores da sexualidade, Masters e Johnson, estudo na década de 70-80 identificou a presença de vaginismo em 1 a cada 20 mulheres de 21 a 40 anos. Atualmente estima-se que 1 a 7% das mulheres sofram de vaginismo, e não conseguem penetração vaginal. Existe ainda a dispaneunia, quando há dor na entrada da vagina ou no fundo durante a penetração, responsável por cerca de 15% das disfunções sexuais.

Temos que falar sobre assuntos difíceis. Salvo exceções, a dor gera evitação… e o medo da dor física pode acarretar conflitos e uma “dor emocional” ainda maior. Existe tratamento para as causas físicas e psicológicas.

Dra Thalia Maia
CRM DF 19006