Dicas de Saúde

11/01/2017

Cirurgia Plástica: Vamos falar de prótese mamária. Saiba os pontos importantes para obter bom resultado.

Texto escrito por Eduardo Natal Batista

É inegável a importância das mamas no quesito sensualidade do contorno corporal feminino, daí a grande procura por procedimentos plásticos nesta área. Sempre procure um especialista cirurgião plástico quando da intenção de realizar um procedimento estético, dada sua formação mais específica e ampla na área estética.

post-eduardoA cirurgia mamoplastia de aumento ou inclusão de próteses mamárias consiste no preenchimento das mamas utilizando próteses de silicone. As próteses variam quanto a formato, volume e cobertura. São três os formatos: anatômico ou “em gota”, cônico e redondo. Todos apresentam variações de projeção (baixa, média, alta e extra alta) e volumes graduados. A cobertura pode ser texturizada ou de poliuretano, sendo essa última ligeiramente mais rugosa que a primeira.

A prótese a ser usada deve ser escolhida conjuntamente  com o cirurgião plástico, dependendo da expectativa de resultado (o que a paciente busca) e da possibilidade de obtenção do mesmo (avaliação cirúrgica quanto à limitação da técnica).

Tem indicação nos casos de mamas com pouca flacidez de pele, onde se deseja aumento do volume e consequente aumento do tamanho, como nos casos de mamas pequenas ou de amamentação recente com flacidez discreta residual. Essa técnica pode ser associada à mastopexia, que é a retirada de pele da mama, nos casos de “mamas caídas”, no intuito de diminuir a cicatriz necessária para elevação da mama.

O grau de satisfação está relacionado:

  • aos cuidados na escolha do médico cirurgião plástico,
  • à indicação do especialista ginecologista,
  • ao acompanhamento periódico,
  • aos cuidados pré e pós cirúrgicos.

O uso de próteses mamárias pode ser indicado, normalmente, a partir dos 16 anos, quando geralmente a formação da mama já está completa. Porém, é necessária a avaliação quanto ao amadurecimento psicológico da paciente na decisão pela operação.

Deve ser realizada a exclusão de doenças nas mamas que mereçam um tratamento mais urgente e posterguem a cirurgia para um momento mais oportuno, como nódulos suspeitos. Os exames de imagem das mamas (ecografia e mamografia), bem como o exame clínico e acompanhamento com um especialista ginecologista se faz necessário para tanto. Pacientes que utilizam contraceptivos orais podem ser solicitadas a interromper o seu uso por até um mês antes do procedimento cirúrgico para evitar riscos.

O cirurgião plástico, juntamente com a paciente, deverá decidir qual o tipo de prótese, a melhor cicatriz e o local dos implantes, se abaixo da mama ou do músculo.

O procedimento dura cerca de duas horas e deve ser realizado em clínicas ou hospitais que ofereçam segurança à paciente e à equipe médica envolvida. A anestesia empregada será individualizada, e decidida pelo médico especialista anestesiologista, responsável por monitorar o paciente durante a cirurgia.

img_2519As complicações são pouco frequentes, acontecendo em menos de 5% dos casos. A contratura capsular é o problema mais comum.

O organismo cria uma forte camada de tecido cicatricial (cápsula) ao redor da prótese, com posterior contração, levando à compressão do implante e provocando desde um leve endurecimento da mama até deformidades ou dores. A contratura pode se iniciar a qualquer tempo após a cirurgia, mesmo anos mais tarde, podendo ocorrer em somente uma ou nas duas mamas.

A necessidade da troca das próteses surge nos casos de complicações mecânicas (contratura ou ruptura) detectadas em exames ou de desejo de mudança do volume dos implantes. Não há prazo de validade determinado para as próteses, sendo necessário o acompanhamento anual com o(a) médico(a) assistente que realizou a cirurgia.

Em raros casos, ocorre a infecção do implante com necessidade de retirada do mesmo no pós-operatório recente.

O procedimento exige repouso relativo por um período de cerca de dez a catorze dias, quando normalmente se retorna às ativiadades habituais. Passadas três a quatro semanas, a paciente já pode retormar exercícios, de acordo com avaliação médica. O inchaço, nas mamas, começa a diminuir após a primeira semana, e em grande parte após um mês de cirurgia, sendo que o resultado final se apresentará por volta de seis meses, quando do caimento das mamas.

A paciente deverá se habituar a usar sutiã, pois a colocação do implante aumenta o peso da mama, o que pode ocasionar maior possibilidade de ”queda”, se não tomados os cuidados merecidos.

Estudos recentes não correlacionam o implante de silicone ao aumento de risco de desenvolvimento ou falha de detecção de câncer de mama, desde que sejam utilizados exames adequados e seja realizado acompanhamento médico periódico no rastreamento das doenças de mamas.

Desta forma, respeitados os devidos cuidados na escolha do médico cirurgião plástico, na indicação do especialista ginecologista, no acompanhamento periódico, nos cuidados pré e pós cirúrgicos, conseguimos um alto grau de satisfação neste tipo de procedimento.

 

Dr Eduardo Natal Batista – CRM- DF 13255

Cirurgião Plástico