Dicas de Saúde

01/02/2017

Amamentação: importância de se preparar na gestação para o processo da lactação.

Texto escrito por Elayne Rangel

foto artigo Dra ThaliaNão existe estar grávida e não se preocupar com a amamentação. Este assunto é o que causa mais medo nas mulheres. Surgem com a gestação vários mitos a serem realizados, que a longo prazo podem transformar um processo fisiológico e natural, em um verdadeiro transtorno. Importante ressaltar aqui que, assim como você busca por vários profissionais e temas quando descobre esta gestação, busque sempre por uma orientação embasada e coerente, pois seu processo de amamentação com sucesso se dará em reflexo a informação recebida ainda no pré-natal.

Primeiro ponto: Existe preparo de mama ainda na gestação para o sucesso do aleitamento materno? Em estudos mais antigos se tinha a orientação de realização de movimentos para formação do bico do peito (Exercício de Hoffman) e usar buchas vegetais e toalhas em fricção ao mamilo, pois acreditava-se que o formato do bico era responsável pelo sucesso do aleitamento materno, com a justificativa que a troca do tecido mamilar e areolar causavam um fortalecimento desta região e evitariam assim as famosas fissuras. Isto ao longo dos anos caiu em desuso e não se orientam mais.

Segundo ponto: Precisamos entender a anatomia da mama, formada por glândulas, ductos e seios lactíferos, que se modificam durante todo o processo gestacional para a fisiologia da lactação, assim como a parte externa chamada aréola e mamilo também se adaptam, mudando a coloração desta região e aumentando o aparecimento de uma estrutura chamada glândula de Montgomery, uma espécie de espinha nesta região que surgem, e que tem papel fundamental. Elas aumentam a lubrificação da pele areolar, proporcionam proteção ainda na fase gestacional desta região, e após o nascimento do bebê exalam um cheiro especifico que ajuda na amamentação, assim como, facilitam ao bebê vedar a mama na sucção. Se manobrarmos a mama utilizando a fricção destruímos esta estrutura de tanto valor.

Terceiro ponto: Evitem usar cremes, pomadas e conchas no processo gestacional, pois o que realmente evitam as fissuras não são estas manobras ou uso destes itens, e sim o conhecimento sobre a pega e posição, pois o bebê possui reflexos para este processo de mamar, mas, precisamos ajuda-lo a utilizar. Lembre-se: podemos usar de tudo, a melhor tecnologia ou exercício, mas, se a pega estiver incorreta, de nada adianta. Acreditem, o bebê tem capacidade de buscar uma aréola e mamar, só precisamos usar e ensinar seus reflexos ao nosso favor. Muitas mães relatam na pratica clinica que uma mama plana ou um mamilo invertido em alguns casos geram uma adaptação mais lenta do bebê, mas com ajuda correta todo esse processo pode se tornar mais leve e prazeroso sim.

Então, busque informações sobre a amamentação, não manipule suas mamas nesta fase, pois não tem nenhuma necessidade, busque por consultas em um banco de leite ou com um consultor em aleitamento materno, isto lhe trará mais confiança e conhecimento. Você pode não saber realizar a ação de amamentar, mas com conhecimento prévio, saberá identificar algo de errado, minimizar os problemas e assim precocemente buscar ajuda e ter sucesso em seu aleitamento materno.

Enfermeira Elayne Rangel Coren DF 231518

E-mail: enfermeiraelaynerangel@gmail.com

Instagram: @enfermeiraelaynerangel